Fale Comigo

Blog Listing

Escolarização precoce e TDAH

*A escolarização precoce aumenta as chances de crianças serem diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).*

Essa foi a conclusão de um recente estudo realizado pela universidade de Harvard e publicado no New England Journal of Medicine, uma das revistas científicas mais proeminentes na área médica em todo o mundo.

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), também chamado de distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade (DDAH) é entendido como um transtorno de comportamento caracterizado pelo indivíduo ser hiperativo, muito impulsivo e possuir dificuldade em prestar atenção.
Trabalhos anteriores já apontaram essa relação entre escolarização precoce e maior incidência de diagnostico de TDAH. O mérito do presente trabalho foi o de realizar um estudo com um número muito grande de crianças nos Estados Unidos, de forma não tendenciosa e tendo como parâmetro de comparação uma característica empregada em muitos estados dos EUA: a data-limite de 01º de setembro para a criança ter 5 anos para ingressar na escola (o kindergarten, que é quando se inicia a alfabetização nos EUA). Essa data-limite existe pois setembro é o mês em que o ano letivo começa no hemisfério norte. Por exemplo: se a criança faz cinco anos dia 31 de agosto, em setembro ela começa no kindergarten. Se ela faz cinco anos no dia 02 de setembro, ela só começará o kindergarten em setembro do ano seguinte, quando ela já estiver com quase seis anos.
Os pesquisadores analisaram um banco de dados de seguro de saúde contendo informações de 407.846 crianças nascidas entre 2007 e 2009. Foram comparados os dados do mês em que as crianças nasceram, o número de diagnósticos e de tratamentos de TDAH, além do número de crianças diagnosticadas com asma, diabetes, obesidade e depressão. *O principal resultado é que crianças nascidas em agosto (que entraram na escola assim que fizeram 5 anos) tinham uma taxa 34% maior de diagnóstico de TDAH do que crianças nascidas em setembro (ou seja, poucas semanas mais velhas, mas que só entraram na escola quando tinham quase 6 anos)*. Diferença similar foi encontrada no percentual de crianças em tratamento para TDAH.
Por outro lado, não houve diferenças na taxa de crianças diagnosticadas com TDAH quando quaisquer outros dois meses vizinhos foram comparados em que as crianças entraram na escola em idade próxima (por exemplo, julho e agosto ou setembro e outubro), ou quando os meses de agosto e setembro foram comparados nos estados americanos que não possuem a data-limite de 01º de setembro. Outro dado importante é não existe diferença no percentual de crianças diagnosticadas com asma, diabetes, obesidade ou depressão, na comparação entre os meses de agosto e setembro.
Em resumo, esse estudo mostra que é preciso ter atenção sobre a idade em que as crianças entram na escola. Pode ser que valha a pena, e seja mais saudável, crianças iniciarem a escola e começarem a alfabetização um pouco mais velhas.

Conforme aqui indicado, crianças que ingressam cedo demais na escola tem mais chance de serem diagnosticadas com TDAH (o que pode indicar maiores chances de desenvolver TDAH). O artigo original Attention Deficit–Hyperactivity Disorder and Month of School Enrollment, N Engl J Med 2018; 379:2122-2130 de Layton e colaboradores pode ser encontrado aqui: https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1806828.

 

Dr lucas homeopatia

Prof. Dr. Lucas Franco Pacheco – Médico especialista em Homeopatia pela AMHB – AMB, Professor da Faculdade de Medicina de Pouso Alegre – UNIVAS.
Diretor da Associação Paulista de Homeopatia – APH – triênio 2018-2020.



Deixe um comentário