Fale Comigo

Blog Listing

Estratégias de Tratamento Homeopático em Medicina Paliativa e Atenção Primária à Saúde

Dr lucas homeopatia

Prof. Dr. Lucas Franco Pacheco – Médico especialista em Homeopatia pela AMHB – AMB.

Este ano estive no 21 Congresso Mundial de Médicos de Família – 21st WONCA World Conference of Family Doctors, nos dias 02 a 06 de novembro de 2016.

Neste congresso publiquei dois trabalhos de minha autoria, em um deles, apresentei a atividade de inserção da Homeopatia nos serviços de Medicina Paliativa na cidade de Amparo – SP e, também, Atenção Primária à Saúde na Faculdade de Medicina de Pouso Alegre – MG:

wonca-2016

21st WONCA World Conference of Family Doctors

Estratégias de Tratamento Homeopático em Medicina Paliativa e Atenção Primária à Saúde

Autor: Prof. Dr. Lucas Franco Pacheco. UNIVÁS – Pouso Alegre – MG, Brasil

Manejo Clínico – Medicina Tradicional e Complementar

Introdução: Na Atenção Primária à Saúde, praticamos a medicina com ênfase na Prevenção Quaternária, que consiste em identificar pacientes sob risco de sobremedicação e oferecer a eles intervenções médicas eticamente aceitáveis, protegendo-os da iatrogenia e intervenções médicas desnecessárias . Com isso, a Homeopatia surge como uma importante opção, considerando que possui efeitos colaterais mínimos e por ser especialidade médica regulamentada em mais de 80 países. Em países como Brasil, México, Inglaterra e Índia, a Homeopatia faz parte do sistema público de Saúde. No Brasil, está inserida na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares desde 2006 no Governo Federal.

Na Medicina Paliativa, os pacientes geralmente se encontram sob risco de excesso de medicação, onde muitas vezes as interações medicamentosas podem trazer danos. A Homeopatia apresenta recursos para aliviar o enfermo, melhorar sintomas clínicos, fortalecer a imunidade, estimular a força vital, e com potencial para reduzir ao mínimo necessário o número de medicamentos alopáticos em uso pelo paciente.

Objetivo: Propor estratégias de tratamento homeopático em Medicina Paliativa e Atenção Primária à Saúde. A intenção é apenas citar os medicamentos mais bem indicados. Não será apresentado a patogenesia nem os sintomas característicos mais peculiares a cada medicamento, para isso existem centenas de matérias médicas a serem consultadas pelo médico prescritor.

Método: Revisão dos prontuários dos últimos dois anos de trabalhos em medicina paliativa na cidade de Amparo-SP e dos prontuários dos pacientes da Unidade de Atenção Primária à Saúde da Faculdade de Medicina de Pouso Alegre – MG. Revisão da literatura, estudos das rubricas repertoriais e matérias médicas Homeopáticas dos medicamentos mais indicados para pacientes em cuidados paliativos.

Resultados:  Na Atenção Primária à Saúde, apresento algumas opções terapêuticas para algumas das doenças mais prevalentes. Lembrando que o melhor medicamento Homeopático é sempre o Simillimum, medicamento individualizado que cobre a totalidade sintomática característica do paciente. Os medicamentos a seguir são medicamentos que em sua patogenesia cobrem melhor a totalidade sintomática de cada respectiva moléstia, de forma que devem sempre ser individualizados para cada paciente, e podem ser utilizados como coadjuvantes do medicamento alopático convencional ou como única linha de tratamento, dependendo de cada caso de doença e da resposta do paciente ao tratamento.

  1. Hipertensão Arterial: Baryta muriatica; Glonoinum; Lachesis; Crataegus; Cactus; Viscum album; Aurum metallicum; Phosphorus.
  2. Diabetes Mellitus: Arsenicum album; Phosphoric acidum; Syzygium jambolanum.
  3. Asma: Antimonium tartaricum; Arsenicum album; Blata orientalis; Bryonia alba; Drosera; Ipeca; Kali carbonicum; Lobelia; Sambucus.
  4. Verminose: Cina.
  5. Úlceras e Escaras: Silicea; Fluoric acidum; Clematis erecta; Arsenicum album; Carbo vegetabilis; Secale cornutum; Calendula.
  6. Lombalgia: Antimonium tartaricum; Bryonia alba; Cimicifuga; Hypericum; Rhus toxicodendron.
  7. Cefaléia: Belladonna; Bryonia; China; Ferrum phosphoricum; Gelsemiun; Glonoinum; Iris versicolor; Nux vomica; Sanguinaria.

O paciente em cuidados paliativos tem expectativa de vida que varia de anos e meses, até dias ou horas. Quando o paciente entra em estado terminal, o foco do tratamento passa a ser fornecer conforto, com tratamento mais intensivo dos cuidados paliativos. A homeopatia atua em sinergia com o tratamento convencional para proporcionar maior qualidade de vida ao paciente nesta situação. Os medicamentos homeopáticos podem contribuir para aliviar sintomas, embora na maioria dos casos o tratamento do paciente paliativo não altere a duração da doença quando o paciente apresenta uma moléstia grave e fatal. Nestes casos o tratamento homeopático pode ajudar para que os pacientes vivam mais confortavelmente a fase final de suas vidas.

MEDICAMENTO INDICAÇÃO OBSERVAÇÃO
1) APOCYNUM CANNABINUM insuficiência renal crônica Edema com sede (ao contrário de Apis)
2) ANTIMONIUM   TARTARICUM Dispneia com expectoração difícil Diferencial com Blata orientalis, Senega, Grindelia robusta, Dulcamara
3) ARSENICUM ALBUM Agitação e medo da morte. Escara. Com debilidade, exaustão, inquietude.
4) BARYTA CARBONICA Demência Pessoas velhas, idiotia.
5) CADMIUM SULPHURICUM Efeitos adversos da quimioterapia Ação mais profunda no estômago.
6) COBALTUM incontinência urinária e espasmos musculares Fadiga e agitação.
7) CARBO VEGETABILIS Casos avançados de pacientes paliativos Diferencial com Lachesis.
8) CAUSTICUM AVE Paralisia, atrofia e enrijecimento precoce.
9) CUPRUM METALLICUM Cãibras Espasmos
10) LACHESIS Casos intermediários a avançados de pacientes paliativos Sufocação e desconforto
11) LATHYRUS Paralisias espasmódicas; Parkinson Aumento dos reflexos
12) NATRUM SULPHURICUM AVE e edema cerebral Trauma cerebral
13) PLUMBUM METALLICUM Patologias neuromusculares; ataxia Paralisias , fraquesa, ataxia.
14)SECALE CORNUTUM Necroses, gangrenas, úlceras, escaras. Diferencial com Arsenicum album, Silicea, Carbo vegebatiblis.
15) SILICEA Úlceras, escaras. Supurações
16) TARENTULA CUBENSIS Dores da morte Acalma a última agonia
17) ZINCUM METALLICUM Depressão cerebral e paralisia mental Paciente letárgico

 CONCLUSÃO: Um medicamento homeopático bem escolhido pode diminuir a dor e melhorar a qualidade de vida de um paciente em cuidados paliativos, e pode diminuir o excesso me medicação em uso pelo paciente na Atenção Primária à Saúde e fornecer um instrumento para o médico bem treinado praticar em sua essência a Prevenção Quaternária e prevenir o paciente de intervenções médicas desnecessárias. Os sintomas característicos do doente têm muito mais valor na seleção de um medicamento adequado, do que a patologia que apresentar, para assim encontrarmos seu simillimum. Como é sabido, em homeopatia afirma-se a exigência de individualizar os tratamentos, e o mesmo se aplica nos pacientes em fase terminal ou no contexto ambulatorial da Atenção Primária à Saúde. Em alguns casos conseguiremos tratar nosso paciente somente com Homeopatia, porém, em outros, o medicamento Homeopático e o Alopático atuarão de modo sinérgico e complementar para o benefício do paciente.

Autor: Prof. Dr. Lucas Franco Pacheco, Médico com título de especialista em Homeopatia pela AMHB-AMB.

site: www.doutorlucashomeopatia.com.br

 


One comment

  1. Luiz São Thiago
    21 de Maio de 2017 at 23:38

    Parabenizo o colega Lucas Franco Pacheco pelo seu simples, bonito e objetivo trabalho. Gostei de todo ele, mas principalmente no quesito em que comenta a importância do tratamento conciliatório Alopático e Homeopático quando se fizer necessário, mostrando aí seu conhecimento e maturidade médicas. Grande abraço.

    Reply

Deixe um comentário